Dicas Enogastroculturais

Grandes Vinhos da Ribera, UAU!!

É meus amigos, o meu amigo Luiz Otavio da Enopira (Piracicaba) veio para São Paulo para montar uma daquelas degustações de cair o queixo. Não é para qualquer um, os vinhos são top, o lugar é top o custo acompanha, não tem jeito. Agora, para quem tenha a disponibilidade, não tem para ninguém, a fina flor da vitivinicultura de Ribera del Duero/Espanha e só sobraram 5 vagas! Veja detalhes abaixo

Degustação de Grandes Vinhos Espanhóis

DO Ribera del Duero

Apresentação: Luiz Otávio Peçanha Local: Restaurante Eau Grand Hyatt Dia: 03 de Maio 19h
Av. Nações Unidas nº 13.301 Itaim Bibi São Paulo / Reservas Enopira: Luiz Otávio- (19) 98204 0406 ou (19) 3424 1583 por mail para luizotavio@uol.com.br .

 VINHOS APRESENTADOS:

  • Alion 2012- R$ 600,00
  • Aalto PS 2011- R$ 1.060,00
  • Valbuena nº 5 2010- R$ 1.400,00
  • Flor de Pingus 2000- 800,00
  • Arzuarga Navarro Gran Reserva 1996- R$ 1.220,00
  • Pago de Carraovejas Cuesta de Las Libres 2005- R$ 1.600,00
  • Pago de Capellanes El Picon 2010- R$ 1.800,00
  • Vega Sicilia Reserva Especial 2016 (1996, 1998 e 2002) – R$ 3.800,00
  • Sastre Pesus 1999- R$ 3.500,00
  • Pingus 1999- R$ 7.000,00

**************************************************************

Após a degustação será servido jantar no restaurante Eau (Hyatt)

Menu 4 tempos:

1 -Entrada- Creme de Espinafre, Língua de boi defumada, Abobrinha e Foie Gras

Vinho: Cava Cossetània Grand Reserva Brut Nature 2007

2 – Peixe- Prejereba confit, Emulsão de Presunto Serrano, Couscous de Limão e Legumes

Vinho: Pezas da Portela Godello Valdeorras 2008

 3 – Prato principal- Filé mignon Angus, Espuma de Batata Doce, Bombom de Couve e Tutano, Molho de vinho do Porto

Vinho: Abadia Retuerta Seleccion Especial Sardon de Duero 2010

 4 – Sobremesa- Mil folhas de Avelã, Sorvete de Baunilha

Vinho: Cossart Gordon Madeira Malmsey 5 Year Old

 PREÇO POR PESSOA: 1.400,00 (Degustação, Jantar e harmonização com vinhos)

Degustação limitada a 17 pessoas, das quais 12 já estão confirmadas restando somente 5 . 

Show, se tivesse essa bufunfa ninguém me seguraria! Uma ótima opção de prova e jantar, recomendo sem sombra de dúvida. Kanimambo pela visita e hoje fiquei “só” na dica, até Sexta tem mais.

Incrível Costela!

Gosto que me enrosco nessa tal de costela. Seja suína, seja de vaca, é uma carne suculenta que permite as mais variadas formas de preparo e foi na Rodovia Regis Bittencourt em Itapecerica da Serra, uns poucos kms depois do posto rodoviário passando a entrada de Embu, que encontrei o Nirvana das costelas. Fazia tempo que andava aguado por conhecer a casa e finalmente há pouco mais de mês finalmente fui conhecer a casa do amigo Celso Frizon, show o Dr. Costela, que um dia já foi Rancho do Vinho!! (clique no link em negrito para conhecer o lugar e ver como chegar)

IMG_20160424_152447389

Fomos em família e nos esbaldamos no buffet que traz junto um rodizio de carnes, porém pela primeira vez me abstive de sequer provar a picanha que veio, meu foco era um só, as costelas!! Tá, não sou xiita e me deliciei  também com uma linguiça elaborada por eles, porém a festa mesmo foi com a costela na brasa, costela no bafo, hamburguer de costela, e por aí foi até que o Celso chegou com uma costela suína em molho agridoce absolutamente divina!!! De lamber os beiços, meus amigos.

Dr. Costela 1

O Celso é um chef de mão cheia e quando trouxe uns cubinhos de tapioca com geléia de tomate e pimenta (receita dele) saidinha do fogo naquele momento, foi um outro auê na mesa! Pena que na excitação do momento esqueci da foto, porém imperdível assim como sua banana flambada e adorei o sagu!! Não dá para ficar aqui falando de aromas e sabores, só indo lá mesmo.

Clipboard Dr. Costela

Tinha levado um Lagarde Primeras Vinas Malbec para acompanhar e a combinação com essa costela suína foi perfeita. Boa comida, bom vinho, boa companhia, a simpatia do Celso, o lugar aconchegante, não tem como dar errado! Recomendo aos amigos que sejam chegados nessa carne, um ótimo passeio de fim de semana podendo dar uma passada antes em Embu e almoçar tarde no Dr. Costela, um belo programa e, importante sempre, com preços módicos.

Kanimambo pela visita e nos vemos por aqui durante a semana ou em qualquer esquina de nossa vinosfera. Saúde!

Food Truck Gourmet na Vino & Sapore – Agora é Francês

O primeiro evento harmonizado com este Food Truck Gourmet Perfil de Chef, foi luso e foi um imenso sucesso. Pratos e vinhos devidamente harmonizados, um evento super agradável que fez os amantes da boa enogastronomia Granjeira se darem bem e tivemos a visita de bastantes amigos de São Paulo e outras cidades da região também! Foi muito bacana e isso me incentivou a criar um segundo encontro destes, até ao final de ano pelo menos mais um (espero!), desta feita harmonizando pratos e vinhos franceses. Será dia 12 de Setembro próximo, marque na sua agenda!

Clipboard 2

Para quem está curioso, eu em conjunto com a Lili e Gonçalo (chefs do food Truck), desenvolvemos um cardápio muito interessante e bem tradicional, especialmente no que se refere aos pratos principais. Veja abaixo os pratos que estarão disponíveis e as harmonizações propostas.

Entrada – Porção (6) Champignon Paris recheado com ratatouille gratinado no queijo gruyère (R$20,00). Sugestão de vinho,Chateau de Parenchèr Bordeaux Blanc Sec Sur Lie.

Pratos Principais – Boeuf bourguignon com purê de batata (R$24,00) o qual sugiro harmonizar com o Chateau Jalousie Bordeaux Superieur e/ou Cassoulet com arroz (R$23,00) que optamos por harmonizar com um vinho advindo de vinhas velhas, o La Forge Estate Carignan Vieilles Vignes.

Sobremesa – Sortido de Macarons que poderá ser harmonizado com um vinho de sobremesa clássico francês, um Sautern, o Chateau la Bouade (taças de 50ml).

Fora do Tema, disponibilizaremos também uma criação divina dos chefs, seu Hamburguer de Salmão com Dill e Creme de Wassabi também devidamente harmonizado, porém como fora do tema vamos de um delicioso Sauvignon Blanc chileno, porém produzido por um francês (olha a liga aí!) o Little Quino de William Févre. Junto com a entrada, uma opção para quem não come ou não é chegado em carne. Servimos no último encontro e foi um sucesso!

Os vinhos serão servidos à taça (100ml exceto o de sobremesa) com valores variando entre R$14 a 16,00 e também serão disponibilizados em garrafa com 10% de desconto somente no dia. Aguardo os amigos, das 13 às 18 horas ou até que a comida acabe. Kanimambo et tout à l’heure!

Parceiros nos vinhos – Importadoras Calix, Vínica e Domínio Cassis.

Gourmetizando em Mendoza

Mendoza não é só terra de boas bodegas e bons vinhos, é terra de bons restaurantes e ótima comida para todos os gostos e preços. Ainda preciso rodar mais pela enorme diversidade de restaurantes desta linda cidade, mas pelo que já rodei posso afirmar que a maioria dos amantes da boa gastronomia certamente se surpreenderão e começo hoje com uma frase estampada no cardápio do amigo Pablo del Rio, chef de primeiro nível e dono de dois restaurantes por lá:

Siete cocinas - No todo lo que comemos

Bem, começo pelo Azafran ,um dos mais midiáticos, bom e quase sempre lotado. Vale muito a pena também, mas há mais! Como gosto de ficar no centro de Mendoza, é por aqui que janto e me esbaldo, eis alguns lugares para você conferir; Nadia O.F. (filial do Urban na Bodega O. Fournier), Maria Antonieta (risotos e pastas), La Barra (carnes) y Ocho Cepas (internacional) são restaurantes top com bom serviço e preços bons comparativamente ao que desembolsamos por aqui em locais do mesmo calibre, alguns até baratos.

Nas bodegas, talvez a maior surpresa gastronômica de todas pois os restaurantes são de primeira e, obviamente, com ótimas harmonizações. Eu sou fã de comer nas bodegas Mendoza 090Casarena, Lagarde, Norton, Melipal, El Enemigo, O. Fournier Urban  e Vistalba. Difícil escolher uma, porém para mim o Osadia de Crear na Bodega Dominio del Plata, pelo conjunto da obra, é meu xodó e sempre termino meus tours por aqui! Certamente haverão outros ótimos restaurantes, tanto nas bodegas como na cidade, que ainda não visitei e alguns dos amigos possam recomendar, mas com esses eu garanto que qualquer viagem a Mendoza você estará muito bem servido e assino embaixo. Aliás, falam muito bem e os críticos elogiam os dois restaurantes do Francis Mallman, o Siete Fuegos e o 1844, a conferir certamente.

Tendo dito isso, deixei para último um restaurante que me encanta por três razões; a qualidade e criatividade dos pratos executados com maestria, o serviço e escolhas de harmonização com uma adega muito especial e diferenciada, a paixão de seu dono! Siete 1Assim como um vinho precisa de alma para se destacar e nos seduzir, da mesma forma um restaurante e um prato. O Siete Cocinas, do amigo Pablo del Rio, é tudo isso e uma tremenda viagem gastronômica pelas diversas regiões argentinas. Vá com calma, sem pressa e curta a viagem, garanto que será inesquecível e estando por lá peça uma das apenas 900 garrafas produzidas (esperando que ainda tanha alguma!) de um vinho chamado Cara Sur com a uva Criolla, algo inusitado! Por sinal, ainda não fui, dizem que seu novo restaurante Fuente Y Fonda, com outra pegada, está delicioso e preciso conferir. Aqui as porções são mais avantajadas, lugar mais simples, tipo a casa da vó! As informações colhidas no Trip Advisor são muito boas e recomendam a visita.

Para abrir seu apetite e lhe dar água na boca, compus este vídeo show com algumas imagens tiradas nessas visitas. Boa parte das fotos foram tiradas pelo Ricardo Gaffrée, um gourmet de primeira que possui o blog Amigo Gourmet. Clique no link e leia sua opinião sobre boa parte destes restaurantes mencionados já que esteve junto comigo na última viagem que fiz por lá em Abril passado. Dos pratos mais simples aos mais sofisticados, dos menus degustação de muitos “passos” aos pratos cheios, uma descoberta de grandes e diversos sabores sempre muito bem acompanhados por belos vinhos, Mendoza é um prato e taça cheia para os amantes da boa enogastrônomia. Uma última dica, faça reserva! Kanimambo e seguimos nos encontrando por aqui. Em breve Confraria de Vinhos Frutos do Garimpo, aguarde!

Enogastronomia Portuguesa = Diversidade!

Diversidade, acho que está no sangue, esse é meu brado, esse é meu lema e não abro mão! Falo muito sobre o assunto porque é algo inerente ao meu ser e quando vejo a mesmice em que se coloca a gastronomia portuguesa, me deixa algo P da vida porque há muito mais por lá do que só Bacalhau, Sardinhas e Caldo Verde! Como no vinho e na enormidade de uvas autóctones portuguesas que enriquecem sobremaneira a vitivinicultura lusa, assim é a gastronomia do país, pequeno mas vasto em sabores! Um amigo me enviou em pdf, um livro intitulado Receitas e Sabores dos Territórios Rurais editado pela Minha Terra – Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local que é uma preciosidade. Por sinal, o livro entrou em meu wish list! Se alguém estiver indo a Portugal e quiser me trazer um livro desses, pago na entrega aqui! rs

O papo hoje vai longe, então prepare-se, mas creio interessante para os amantes da boa gastronomia que, em Portugal vão achar uma diversidade de sabores incrível. A regionalização enogastronomica portuguesa é imensa e passa por fortes influências das ex-colônias. Cada região tem seus pratos e suas peculiaridades, sua cultura e hábitos baseado em seu meio ambiente típico, o que costumamos chamar de terroir, conceito este ampliado á gastronomia. Achei bastante interessante o que Maria Proença, da Idade dos Sabores, expôs em suas notas introdutórias ao livro:

Decido começar por onde deveria, talvez, terminar: sublinhar as palavras de Stefano Padulosi – “levar um garfo ou uma colher à boca é a última etapa dum percurso demarcado pela história e pela geografia”. E eu acrescentaria: pelas tradições, pelas crenças, pela carência ou pela abundância, pela necessidade ou pela festa, pela partilha.
Julgo que esta formulação enquadra bem o lugar da cozinha no contexto dum território, porque aqui a cozinha não se dissocia do seu meio mas é nele que se inspira e se alimenta. A noção de território implica uma interação, uma dialética entre a paisagem, o clima, as atividades dos homens, as suas práticas, o seu saber-fazer, e ainda o resultado dessas mesmas práticas: os produtos agrícolas locais.
A propósito, Laurence Berard afirma: “Existe uma grande familiaridade entre os produtos e as pessoas. Importa identificar estas produções para as dar a conhecer e melhor as valorizar: assim podemos contribuir para voltar a dar sentido ao território”. Digamos, pois, que cada território é um espaço socialmente decifrado, apropriado e construído.
Neste livro é o conceito de território que ganha destaque, entendido que deve ser como um campo complexo que obriga a um método de análise e de interpretação multidimensional: recursos ambientais, economia, cultura, política, história e identidade, tradições e saberes, informação e divulgação. É neste contexto que a gastronomia local recupera algumas das ideias que a devem nortear. A cultura alimentar encontra a sua diversidade na manutenção e valorização do território, na especificidade e qualidade dos seus produtos, na promoção do que é genuíno ao mesmo tempo que desenvolve estratégias para a sua inserção num espaço mais amplo.

Tudo isto para chamar a atenção para diversas outras deliciais regionais da gastronomia fora os já para lá de manjados bolinho de bacalhau, pratos de bacalhau e caldo verde que todos conhecem. Preparem-se para curtir uma imensidão de sabores quando de visita à terrinha, aproveite e explore alguns destes pratos dependendo da região em que estiver:
Região Norte – Trás os Montes, Minho, Douro:
Arroz de lebre, Perdiz Estufada, Guisado de javali, Migas de peixe, Ensopado de Borrego,, Presunto cru de Chaves, Javali no pote com castanhas, Cozido Barrosão, Folar, Lampreia, Sável no forno, Cabrito assado, Arroz de Cabidela, Alheiras de Mirandela com grelos, Arroz de Favas, Bifes de Alvarenga, Cabrito da Gralheira, Broa (pão) e os doces Toucinho do Céu, Leite Creme, Pudim de castanhas, Rabanadas, Pudim Abade de Priscos entre outros.

Região Centro – Dão, Bairrada, Beiras
Sopa do Vidreiro, Enguias fritas, Leitão à Bairrada, Arroz de lampreia, Morcela de arroz de Leiria, Arroz de mariscos, Vitela de Lafões, Escabeche de trutas, Arroz de Zimbro, Queijo da Serra, Cabrito recheado, Pão da Mealhada, Borrego estufado, Chanfana, Bucho recheado, Arroz de miúdos, Sopa de Castanhas, Coelho à caçadora, Feijoada de Lebre, Borrego assado, Morcelas, Panela de forno e os doces Tigeladas, Pudim de requeijão, requeijão com doce de abóbora, arroz doce e pastéis de Vouzela entre outros.

Região Lisboa, Setúbal e Ribatejo:
Migas de bacalhau, Cabrito de Torres Novas, Queijo do Azeitão, Caldeirada do mar, Sopa de Saramagos, Sopa de Pedra, Ostras de Setúbal, Carne de Porco com enguias, Pombo estufado, Cabrito assado, Fataças, Ensopado de enguias, Açorda de Savel, Açorda de camarão, Coelho bravo frito, Carneiro guisado, Fritada de camarão com açorda, Sardinhas assadas, Frango na púcara e do mar os tradicionais chocos,ameijôas, navalhas, berbigão, camarões e lagosta. Doces; Fios de ovos, Fatias de Tomar, Figos, Fogaças de Alcochete, Pastéis de feijão, Celestes de Santa Clara, Lampreia de ovos, Pastéis de nata (Belém) e barrigas de freira entre outros.

Região Sul, Alentejo e Algarve:
No Alentejo reina o porco preto e ótimos queijos. Cachafrito de Cabrito, Sarapatel, Assada de peixe, Sopa de lebre, Ensopado de Borrego, Carne de Porco à Alentejana, Arroz de lagosta, Ensopado de enguias, Sopa de lebre, Açorda á Alentejana, Cozido de grão, Arroz de lampreia, Lombinhos de javali, Borrego estufado, Açorda de ovas, Veado com castanhas, Pato bravo com mostarda, Perdiz de escabeche, Fritada de porco, Sopa de tomate, Papas com conquilhas, Mioleira de porco, Arroz de pombo, Cataplana Algarvia, Lulas recheadas, Arroz de polvo, Lombo de porco na banha, Galinha cerejada e os doces; Manjar branco, Ovos de Portoalegre, Bolo da sogra, Sericaia com ameixas d’Elvas, Trouxas de ovos e Fatias do Céu entre outros.

Na próxima vez em Portugal, ouse! Visite seu porto seguro, mas descubra novos sabores sempre acompanhados de vinhos regionais que certamente harmonizarão à perfeição. Kanimambo pela visita e seguimos nos encontrando por aqui.

Jantar Vínico Luso na “A Quinta do Bacalhau”

Dia 29/11 a partir das 20 horas – Wine Dinner promovido por mim no restaurante

“A Quinta do Bacalhau”.

Depois do grande sucesso da primeira edição realizada em Maio passado, vamos repetir a dose com vinhos e pratos diferentes numa harmonização única. Vejam abaixo o menu degustação e vinhos a serem servidos.

BoasvindasEspumante Quinta Don Bonifácio Brut

Entrada – Salada Lisboeta (Grão de Bico e Bacalhau) e Bolinhos de bacalhau com o vinho verde Dona Paterna Trajadura/Alvarinho

1º prato – Rojões (carne de porco cortada em cubos), prato típico alentejano com o DFJ Touriga Nacional/Touriga Franca da região Lisboa.

2º prato – Cataplana de bacalhau (batatas e tomate) com o Grandes Quintas Reserva, um tinto do Douro

Sobremesa – Queque de Amêndoas, acompanha Porto Quinta do Infantado Tawny Reserva Dª Margarida

Serão servidos 100ml de cada vinho acompanhando o prato, exceto o Porto com 50ml. Preço de R$160 por pessoa (pagos no ato da reserva) com direito a água com e sem gás e o café ao final do jantar. Refrigerantes e outras bebidas serão cobradas à parte.

a_quinta_do_bacalhau_banner_3

As reservas estão limitadas a 40 pessoas e na última edição lotamos rápido então não hesite e garanta logo sua participação. O evento se dará a partir das 20:00 no restaurante que fica na estrada para Caucaia do Alto acesso pelo km 39 da Rodovia Raposo Tavares. Aguardamos seu contato tanto através do blog, na Vino & Sapore (comercial@vinoesapore.com.br) Tel. (11) 4612-6343 quanto no “A Quinta do Bacalhau” contato@aquintadobacalhau.com.br ou Tel. (11) 4616.5481.

Dicas do Mês, Programe-se

Este mês de Novembro certamente haverão um monte de oportunidades para degustar e aumentar a litragem dos amigos que, como sabem, é provando que se conhece vinho! Eis uma pequena amostra do que está por vir, garanta-se!

Encontro de vinhos curitibaDia 8 Encontro de Vinhos em Curitiba – organizado pelos amigos Daniel Perches e Beto Duarte, atuantes e competentes participantes de nossa vinosfera como blogueiros e outras atividades afins, esta é terceira edição do Encontro de Vinhos que apresentará intensa participação de produtores argentinos e brasileiros no evento, um time de 23 expositores que apresentarão ao público curitibano centenas de rótulos de vinhos para serem degustados.

Destes 23 expositores, 17 são produtores , “O interesse pelos produtores por feiras como o Encontro de Vinhos tem aumentado substancialmente a cada ano. É uma forma de consolidar a marca de maneira direta, frente a frente com o consumidor”, relata Daniel Perches.

“Outro dado relevante é a forma que esses produtores têm nos procurado: em grupos. Há alguns anos atrás, tínhamos uma demanda muito grande de produtores individuais que buscavam o evento como estratégia comercial. Hoje, as associações representativas possuem papel fundamental na promoção da imagem de países ou regiões vitivinícolas como um todo”, cita Beto Duarte.

Um exemplo é a Wines of Argentina, que realiza um trabalho de promoção dos vinhos argentinos no Brasil há mais de 20 anos sendo que, nos últimos anos, as ações têm se intensificado fortemente. “Os projetos e ações que executamos no Brasil tem um planejamento anual e com o objetivo de construir e reforçar a imagem dos vinhos, das vinícolas e também das diferentes regiões vitivinícolas argentinas. É uma estratégia que busca criar um diferencial competitivo frente aos demais países produtores.”, afirma Déco Rossi, Relações Públicas da WofA no Brasil.

Sobre o evento: dia 08 de novembro – das 14h as 22h no Hotel Lizon – Avenida Sete de Setembro, 2246, Centro. Ingressos: R$ 70,00 no local e R$ 60,00 pelo site. Sócios ABS, Centro Europeu e CCVB têm 50% de desconto. Acesse: www.encontrodevinhos.com.br

mala 12 em fibra IDia 13 Prova dos Vinhos da Mala do João. Na Vino & Sapore (Granja Viana – Cotia) a partir das 20 horas – A meia hora de Sampa (zona oeste), seis vinhos que selecionei durante minha última viagem á Argentina. Uma forma de compartilhar com os amigos um pouco desse saboroso garimpo trazendo coisas que não estão ainda disponíveis no Brasil e boa parte provavelmente nem virão. Veja mais aqui, mas fica o aviso, só sobraram 3 vagas das 12 disponibilizadas.

 

Dia 27 Degustação temática de espumantes – Uma oportunidade de conhecer um pouco mais sobre esse Champagne-Bubbles - Ministry of Alcoholborbulhante e festivo mundo dos espumantes, aproveitando que as festas de final de ano estão chegando. Tire suas duvidas e prove, ás cegas, oito espumantes de diversas origens. Presentes na taça estarão espumantes brasileiros, franceses (Champagne e Cremant), italianos (Proseccos e Franciacorta) e Cavas espanhóis, vinhos dos mais diversos estilos (Brut, Nature, Rosé, Doce e Extra-brut) e formas de elaboração (charmat, champenoise e asti). Ainda finalizando rótulos e fechando preço, mas garanta já sua cadeira fazendo uma pré-reserva já que as vagas serão limitadas! Envie-me um comentário, mande e-mail para comercial@vinoesapore.com.br ou ligue para (11) 4612-6343 ou 1143.

 

Dia 29 – Wine Dinner promovido por mim no restaurante “A Quinta do Bacalhau”. Depois do grande sucesso de nossa primeira edição em Maio passado, vamos repetir a dose com vinhos e pratos diferentes numa harmonização única. Vejam abaixo o menu degustação e vinhos a serem servidos.

BoasvindasEspumante Quinta Don Bonifácio Brut
Entrada – Salada Lisboeta (Grão de Bico e Bacalhau) e Bolinhos de bacalhau com o vinho verde Dona Paterna Trajadura/Alvarinho
1º prato – Rojões (carne de porco cortada em cubos), prato típico alentejano com o DFJ Touriga Nacional/Touriga Franca da região Lisboa.
2º prato – Cataplana de bacalhau (batatas e tomate) com o Grandes Quintas Reserva, um vinho do Douro
Sobremesa – Queque de Amêndoas com ovos, acompanha Porto Quinta do Infantado Tawny Reserva Dª Margarida

Serão servidos 100ml de cada vinho acompanhando o prato, exceto o Porto com 50ml. Preço de R$160 por pessoa (pagos no ato da reserva) com direito a água com e sem gás e o café ao final do jantar. Refrigerantes e outras bebidas serão cobradas á parte.

a_quinta_do_bacalhau_banner_3

As reservas estão limitadas a 40 pessoas e na última edição lotamos rápido então não hesite e garanta logo sua participação. O evento se dará a partir das 20:00 no restaurante que fica na estrada para Caucaia do Alto acesso pelo km 39 da Rodovia Raposo Tavares. Aguardamos seu contato tanto através do blog, na Vino & Sapore (comercial@vinoesapore.com.br) quanto no “A Quinta do Bacalhau” contato@aquintadobacalhau.com.br ou Tel. (11) 4616.5481.

Por hoje é só, mas em pintando mais coisa na minha caixa postal eu aviso. Salute, kanimambo e aguardo você aqui, na Vino & Sapore ou em qualquer outro ponto de nossa vinosfera.

Crise de Abstinência

      Como escriba, deixemos isso bem claro! rs A crise é minha e não de meus leitores então, por um curto espaço de tempo enquanto ponho a casa em ordem, vou me aproveitar dos amigos e postar aqui algumas boas matérias de amigos de nossa vinosfera para que você não perca a viagem da visita. Começo pelo amigo Marcio Oliveira, autor da newsletter Vinoticias que recebo semanalmente e não deixo de ler para me manter antenado com as coisas de nosso mundinho. Na  penúltima newsletter recebida, duas matérias muito interessantes me chamaram a atenção, como especial destaque para esta sobre  Portugal, até porque tem tudo a ver com o conceito que minha saudosa amiga e sócia, Inês Cruz, e eu impusemos a nossos programas de viagens que claramente detêm o titulo de viagens Enogastroculturais. Eis o texto do MárcioClipboard Sabores

“ AROMAS E SABORES PORTUGUESES ” – Dizem que a melhor maneira de se avaliar a cultura de um povo é visitar seu mercado. Por onde passo, procuro conhecer um mercado com frutas frescas, carnes, peixes, temperos e vinhos; e se não o consigo, tento ver nos supermercados a variedade de ingredientes culinários e vinhos que cada povo tem.

            A história da gastronomia portuguesa está diretamente relacionada com as qualidades  dos produtos qe o seu solo e o oceano lhes fornece. A base da tradição mediterrânica assenta-se na trilogia do “pão, vinho e azeite”. Esta tendência, espalhada um pouco por todo Portugal, encontra diferentes nuances em cada região. São as influências climáticas, geralmente demarcadas pelas mesmas fronteiras geográficas que delimitaram os trajetos dos povos pelo território em que passaram, que cunharam várias tendências e caracterizam cada uma das cozinhas regionais. Dos fenícios aos romanos, dos mouros às novas gerações, a cozinha portuguesa é uma consequência de todas as contribuições trazidas pelos ocupantes da Península.

            Daí, Portugal ter uma gastronomia tão rica e variada como a sua paisagem e o seu patrimônio cultural, que de certa forma está muito presente na culinária mineira e brasileira.

            No entanto, em Portugal, penso eu que é o mar que imprime a característica mais marcante à culinária local. Um simples peixe grelhado é sempre fresquíssimo, bem como o marisco que abunda em todo a costa litoral. As descobertas marítimas e o intenso comércio de especiarias inspiraram a cozinha lusitana e certamente introduziram novos sabores. Outros produtos de base, como a batata, ou curiosamente o arroz e feijão (tão brasileiros), chegaram durante este período da história de conquista de territórios e, de Portugal, partiram para vários países europeus.

            Em pratos de carne, uma sugestão de todo o país: o celebrado cozido à portuguesa mistura carnes e legumes, cozidos de forma suculenta. A carne e os enchidos consolidam a base de produtos essenciais em muitos pratos portugueses, sobretudo na região Norte, onde também se poderá saborear as tripas à moda do Porto, uma variedade de feijoada, que é feita à moda de Trás-os-Montes (de onde saiu meu bisavô para o Brasil).

            Lembremos também do mais fino azeite português, de grande qualidade, que está sempre presente e integra todas as receitas de bacalhau (dizem que há 1001 azeites diferentes em Portugal), tipicamente lusitana na forma de preparar e apreciar.

            E os queijos então, basta lembrar dos feitos na Serra da Estrela, mas há vários, como os do Centro de Portugal e do Alentejo, que são todos deliciosos.

            Os doces, com origens nos conventos onde eram preparados, criaram uma doçaria especialíssima. Nunca deixe de provar um pastel de nata, que é uma “bomba” calórica (3 pastéis somam 1000 calorias e são mais do que muita gente consome diariamente no mundo), que vai muito bem se acompanhado de um bom café “expresso”. Isto sem falar de pão, que é uma verdadeira “perdição”!

            Cada prato tem um vinho certo para companhia. Portugal neste aspecto é um país impar em variedades e diversidades. Se o vinho do Porto e da Madeira fizeram fama inicial do país, hoje os tintos do Douro, do Dão, da Bairrada, do Alentejo e tantos outros fazem a festa de qualquer amante de vinhos.

            E como na recente viagem que fiz pela terrinha a convite da ViniPortugal, muita gente perguntou-me sobre os vinhos que acompanham as “Maravilhas da Gastronomia Portuguesa”, preferi começar estes artigos falando sobre gastronomia e nas semanas seguintes sobres os vinhos provados. 

            Alheira de Mirandela, Queijo Serra da Estrela, Caldo Verde, Arroz de Marisco, Sardinha Assada, Leitão da Bairrada e Pastel de Belém, foram as 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa, eleitas por quase um milhão de votos via internet (Facebook).

As 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa por suas regiões:

Entradas: Alheira de Mirandela (IG) – Trás os Montes e Alto Douro

Entradas: Queijo Serra da Estrela – DOP – Beira Interior / Beira Litoral

Sopas: Caldo Verde – Entre Douro e Minho

Marisco: Arroz de Marisco – Estremadura e Ribatejo

Peixe: Sardinha Assada – Lisboa e Setúbal

Carne: ‎Leitão da Bairrada – Beira Litoral

Doces: Pastel de Belém – Lisboa e Setúbal

         Bem, por hoje é só, mas Quarta tem mais. Por enquanto, fica aqui um Kanimambo especial ao Marcio, aos amigos e fiéis leitores que mesmo com essa crise seguem prestigiando este blog de acordo com as estatísticas de acessos. Salute e não deixe de ler mais textos do Marcio no seu blog http://vinoticiasbh.blogspot.com .

Vinhos Portugueses em Restaurantes Paulistanos

            Os vinhos portugueses vêm num crescendo de consumo no Brasil e nos restaurantes isso não seria diferente. Nas cartas que faço e forneço, tenho visto isso mesmo que ainda ainda de forma timida a não ser que, obviamente, o restaurante seja especializado. Com o intuito de fazer crescer o consumo e mostrar o ótimo perfil gastronômico dos vinhos lusos, e ViniPortugal, associação que promove os vinhos portugueses pelo mundo, promove desde a semana passada em São Paulo, o Festival de Vinhos de Portugal em Restaurante, que termina no dia 04 de Dezembro. Mais ainda, durante o período, cliente que carimbar o seu mapa de Portugal três vezes, ou seja, participar três vezes da ação nos restaurantes integrantes do festival poderá participar do sorteio que o brindará com uma viagem a Portugal, com direito a acompanhante. Diz o press release:

Doze restaurantes participarão do festival, cujo objetivo é harmonizar os sabores dos vinhos de Portugal com a culinária paulistana. Os restaurantes participantes são: Ville Du Vin, Trindade (Unidades Itaim e Alphaville), Tasca da Esquina, Bacalhoeiro, Cosi (unidades Santa Cecilia e Vila Nova), North Grill, Antiquarius, Grill Hall, Materello, Purpurina Oficina das Pizzas, Restaurante do Mube, Porto Rubaiyat e O Pote do Rei.

Para promover ainda mais o evento, o chef português Américo dos Santos e o brasileiro Willian Ribeiro gravaram um vídeo com suas receitas de Bacalhau Confitado com Sabores Lusitanos e Lombinho de Cordeiro Grelhado com Açorda de Leite e Salsa Verde, respectivamente. No vídeo com link abaixo, além de mostrar a confecção dos pratos, o sommelier Diego Arrebola destaca como os vinhos portugueses e suas diversidades de sabores harmonizam os pratos apresentados. Assista: http://vimeo.com/31928939

   Bem, eu não sei vocês, mas eu não tenho como deixar de conferir este verdadeiro festival luso, o sangue fala mais alto, e certamente voltarei  contando minha experiência. Para os amigos que estão em duvida sobre subir a bordo comigo no Tour Enogastrocultural por Portugal, eis aqui um aperitivo do tudo de bom que por lá provaremos. Uma ótima semana para todos e tenho a certeza que a receita acima já lhes deu água na boca, certo? Só faltou o acompanhamento musical com o Carlos do Carmo para entrar no clima pra valer! Salute e kanimambo.

Tour Enogastrocultural

       Conhecer os vinhos e gastronomia de um país é sempre um processo de mergulho na cultura de um povo.  Por outro lado, e a história desse povo fora da nossa vinosfera? Pois bem, eu e a amiga Inês Cruz da Viavitis, enóloga portuguesa da região do Dão, unimos esforços para com nosso conhecimento das coisas e vinhos de Portugal, montar uma viajem inesquecível e, modéstia á parte, show de bola!!

           Serão dezesseis noites e dezessete dias, saindo daqui dia 15 de Fevereiro (primeira semana é carnaval)  e voltando dia 3 de Março do ano que vem. Do Minho ao Alentejo descobrindo paisagens e lugares diferentes, conhecendo a cultura de um país pequeno mas repleto de história , aproveitando o melhor da gastronomia da terra que, pasmem (rs), não é só bacalhau e nos deliciando com os vinhos provados in loco em bate-papo com mais de doze produtores conhecendo incríveis vinícolas.

 

          Certamente uma viajem que ficará na memória de cada um dos 20 participantes que nos acompanharão. Em breve passo detalhes, mas quem tiver interesse de subir nesse avião conosco sugiro já antecipar seu desejo enviando-me seu comentário e solicitação de preços e roteiro, logo logo entro em contato. Nossa viagem partirá de São Paulo, mas amigos do Brasil inteiro são bem-vindos. Vamos nessa?!

Salute e kanimambo