Falando de Vinhos

Revista quase que diária sobre os encantos e segredos de nossa vinoesfera.

Garrafa e Taça Vazias, Bom Sinal

Ontem recebi a visita de um amigo na Vino & Sapore e como já estava na hora, abri uma garrafinha para harmonizar o papo. Fazia tempo que estava na adega e olha, ando bem de garimpo! Classificação BBG: Bom, Barato e Gostoso!! Uma tremenda relação Qualidade x Preço x Prazer, um vinho de Rioja com cerca de 12 meses em tonel (não barrica), não Lealtanza Edicion ltdaconsegui muita informação técnica dele, tempranillo 100% porém me pareceu ter algum “tempero” adicional, mesmo que em pequena dosagem.

Bem frutado, equilibrado, nariz muito interessante com notas algo fumadas, frutos vermelhos, na boca mostra uma acidez muito bem trabalhada, taninos aveludados com uma leve rusticidade, madeira delicada, daqueles vinhos que enchem a boca de prazer enaltecendo qualquer papo e pedem mais e mais, e mais! Me entusiasmei com o vinho e alguns pontos extras para o preço, entre R$65 a 70,00 o que, convenhamos, nos dias de hoje está cada vez mais difícil de encontrar.

Certamente um vinho que estará em minha taça de forma mais amiúde e um belo exemplo dos vinhos desta Bodega que entrega qualidade em todas as gamas de qualidade com preço bacana. Gracias!

Kanimambo e um ótimo feriado de carnaval para todos. Na Vino & Sapore esperamos vocês nesta Sexta e Sábado, depois só Quarta a partir das 14h. Nos vemos por aí, ou por aqui mesmo no blog, fui!

Nebbiolo Catarinense, Uma Enorme Surpresa!

Há outros elaborando vinho com Nebbiolo no Brasil, mas dos que provei nenhum que chegue aos pés deste que vem da região produtora brasileira que mais me seduz. Tanto que dentro de dias saio com um grupo para navegar por esses Vinhos de Altitude na serra Catarinense e descobrir algo mais de sua gastronomia e cultura.

Tem gente que não lê, obviamente,que só vê título de posts e por isso ainda acha que tenho algo contra o vinho brasileiro, longe disso! Minhas criticas são contra algumas empresas que tentaram uma tentativa de golpe contra o consumidor ao tentar passar no governo salvaguardas que aumentavam drasticamente os impostos sobre vinhos fora do Mercosul (não esqueço não!), contra as estratégicas de marketing, políticas comerciais e precificação da maioria, especialmente quando fazem um vinho de gama mais alta que se sobressaia um pouco. Vinhos bons há e cada vez mais, nunca falei que não e para os incautos, basta acessar a Categoria países aqui do lado e ler os posts sobre vinhos brasileiros que só perdem em quantidade para os portugueses e argentinos.

barone na taça

Enfim, essa é outra história, vamos é falar desse gostoso e charmoso Barone Nebbiolo da Vinícola San Michele. Produção limitada a 2.000 gfas, colheita 2014 com estágio de 8 meses em barricas de primeiro uso, carvalho francês da Segan Moreau e alguns poucos meses em garrafa. Vinhedos de sete a oito anos na Serra Catarinense é apenas a segunda safra deste produtor o que enseja um futuro ainda mais promissor. Ao abrir já me deparei com um Barbaresco no olfato! Gosto de Barbaresco, fica pronto mais rápido e é bem mais barato que os Barolos e seus aromas são inconfundíveis. Não soubesse eu que este vinho era originário do Planalto Catarinense (Rodeio) com uvas da Serra, certamente o daria como um vinho do Piemonte. A cor na taça, sedutora e linda, brilhante, love at first sight! rs Dá uma olhada nessa foto aí de cima e vê se não dá vontade de mergulhar de cabeça??

Aromas intensos, sedutores de frutos negros, especiarias, notas florais,Barone Nebbiolo madeira muito bem colocada, daqueles vinhos que a gente não sabe se bebe ou se funga! Implora para ser levada à boca, mas sugiro dar-lhe um tempo, uma meia hora, antes de o servir, mas já coloque um tico na taça enquanto funga!! rs Num primeiro momento a entrada de boca e final se igualam, mas o meio parece algo ligeiro. Num segundo momento após um tempinho na taça ele se integra e fica mais uniforme em boca onde as especiarias e fruta se mostram uníssonos, taninos finos, integrados, complexo, boa persistência, uma enorme surpresa para mim e quem o provou comigo naquele final de tarde de Sexta-feira. Um vinho que me fez sorrir de prazer, como isso é bom! Depois repeti a dose em casa num almoço e alegria igual, desta feita com comida, bacalhau (para variar, rs).

Abra com amigos “entendidos” no metié sem informar origem ou mostrar o contra rótulo e confira as avaliações, depois descortine a origem! O produtor, Vinícola San Michele (Rodeio/SC), jovens formados na Escola de Enologia do mesmo nome em Trento na Itália. Agora preciso provar o Teroldego deles que dizem também ser muito bom.

O vinho fez parte de minha seleção de Novembro da Confraria Frutos do Garimpo (link acima) e acabei colocando algo tanto na Vino & Sapore como em minha adega pessoal tanto para beber agora como para guardar e avaliar sua evolução dentro de uns anos. Belo vinho, recomendo e quem o provou que comente!

Por hoje é só, vou deixar algo já programado para Sexta e a semana que vem é Carnaval, direto do front devo publicar algo do meu tour pelos Vinhos de Altitude de Santa Catarina, se der tempo! Kanimambo e grato pela visita, sempre bom tê-lo por aqui.

Ps. Clique nas imagens para aumentá-las

Mais Um Branco na Taça, Desta Feita um Riesling!

Desde o inicio do ano que venho me deliciando com os mais diversos rótulos de vinhos brancos, alguns já comentados, outros ainda na linha de produção! rs Quando estive em Floripa trouxe alguns vinhos da Apaltagua comprados no Armazém Conceição e de importação própria.
Gostei muito do espumante, tenho um Chardonnay e um Syrah ainda por provar, mas desta feita abri foi um Riesling da linha reserva. O Chile produz alguns bons Rieslings e descobri que este é um deles.

apaltagua rieslingOntem fui para a cozinha preparar a janta e como não consigo cozinhar sem vinho, optei por abrir esta garrafa e foi uma ótima opção. Na comida não coloquei nada não, mas na taça, bem deixa para lá! rs Cor linda, amarelo pálido, brilhante como uma espiga ao sol, só a foto que não mostra, linda e convidativa! Notas cítricas, leve floral e um petrolato bem sutil característica da casta no olfato. Esse petrolato em excesso me incomoda, mas quando sutil é convidativo e forma um bouquet bastante interessante, gostei deste. Na boca é muito balanceado, fruta abundante, fresco, o mineral bem presente, final seco com retrogosto de quero mais! Preciso armar mais uma daquelas harmonizações de Eisbein com Riesling e botá-lo á prova na mesa, fiquei curioso.

Tenho gostado do que venho provando deste produtor, agora estou com o Chardonnay em ponto de mira, acho que deste fim de semana não passa não! Saúde, kanimambo e seguimos nos encontrando pelas estradas de nossa vinosfera ou por aqui a qualquer momento.

Confraria “Falando de Vinhos” em Sampa – Finalmente!!

Este ano de 2016 trará diversas novas ações em que estou trabalhando já faz um tempinho. Seja no âmbito de viagens enogastronomicas (economia permitindo) para Mendoza, Uruguai, Salta e norte da Itália, seja em degustações temáticas, Food Trucks com harmonização enogastronomica, feira de vinhos e a montagem de uma nova confraria (tenho quatro que administro na Vino & Sapore) só que desta vez em São Paulo!

Lusitano Show Room FrenteFinalmente encontrei um parceiro localizado estrategicamente a duas quadras do metrô Consolação, de fácil acesso, com quem acertei a reserva de toda a terceira Segunda-feira do mês. A Lusitano Import do amigo Fernando Rodrigues, montou seu show room na Rua Minas Gerais 59 e ficou uma graça. Boas estrutura para receber estes encontros e se o tempo estiver bom um wine bar externo super charmoso!

Pois bem, será lá que promoverei os encontros dessa nova Confraria com uma reunião mensal, iniciando atividades a partir das 19:30h. Um encontro de seguidores de Baco e amantes de seus caldos, sedosos por ampliar suas experiências enófilas e compartilhar alguns bons vinhos na companhia de novos e velhos amigos. Saindo da mesmice, descobrindo Lusitano Show Room 1novos sabores, viajando na história e na cultura de nossa intrigante vinosfera sem medo de ser feliz.

A ideia é montar um grupo de apenas 12 a 14 pessoas que estejam interessados em se comprometer um dia por mês a participar dessas viagens virtuais enófilas. Está a fins? Se positivo me envie um comentário que entro em contato para lhe passar as condições e regras da confraria para sua avaliação.
Em breve voltarei com a primeira degustação temática aberta em Sampa, será em Março. Aguardem! Kanimambo e uma ótima semana para todos, saúde!

Espumantes Rosé com Sushi e Sashimi

Final de ano tem tudo a ver com espumantes e achei que uma degustação unindo uma série de rosés (menos usual em nossas taças) e a culinária japonesa poderia ser algo interessante a explorar e deu muito Combinados Koizancerto, tanto que depois desta na Confraria Saca Rolha, repeti o roteiro (com algumas variações) mais duas vezes com a ajuda do restaurante Koizan e seus combinados, nosso vizinho da Vino & Sapore aqui na Granja Viana. Para nos relatar essa experiência a porta voz da confraria, Raquel Santos amiga e sommelier, me enviou este texto que agora compartilho com os amigos, porém desde já deixo claro, não perca a chance dessa harmonização, DÉZ!!

Essa foi a nossa última degustação do ano. E eu que andei meio ausente daqui, não podia deixar de compartilhar estes nossos tão prazerosos encontros, que a cada dia mais transbordam de alegria fazendo do vinho, um companheiro a mais, que só nos dá motivo para que nossa confraria caminhe com muita sintonia e por que não, com muita farra também! E como todo grupo que se preze, tem que ter um “nerd”, aqui estou eu para deixar registrado tudo que havia atrás dos incontáveis brindes e desejos de que esses momentos nos impulsionem para dias felizes sempre que for possível!

Desta vez, aproveitamos a brilhante ideia do João de harmonizar sushis/sashimis com uma bela seleção de espumantes rosés. Optamos por uma degustação às cegas, para que a isenção fosse um fator levado em consideração, já que entre eles haviam espumantes de várias procedências, incluindo um Champagne Grand Cru.

Para entrarmos no clima e preparar as papilasSaca Rolha Dez 15 - Sparviere pelo que tínhamos pela frente, começamos com um espumante italiano brut (branco) elaborado com a casta Chardonnay 100%. Um Franciacorta (DOCG), região com denominação de origem controlada e garantida, na Lombardia, norte da Itália. Dizem que os italianos dessa região quiseram produzir esse espumante para rivalizar com os franceses de Champagne. Usam o mesmo método(champenoise) e o resultado é um vinho (sim, espumante é um vinho) de muita categoria. Elegante, fresco, com aromas de brioche e pâtisserie. Potente e ao mesmo tempo delicado.

Estávamos prontos para o desafio às cegas! Vou descrevê-los todos primeiro (como chegaram à mesa) e depois, no final, revelarei quais foram os rótulos. Vem comigo?

Leia mais

Uau, Isso que É Perlage!

Nas minhas curtas férias provei alguns vinhos novos que aos poucos compartilharei aqui com os amigos. Um deles foi uma surpresa para um amante de espumantes que nem eu e que vem confirmar que os chilenos também estão de olho nesse mercado brasileiros produzindo bons vinhos com preços bastante razoáveis. Os nossos produtores que abram o olho!

Apaltagua CosteroApaltagua Extra Brut Costero – um Blanc de Blancs, Chardonnay e Sauvignon Blanc, da ótima região de San Antonio conhecida por seus vinhos brancos de excelência em função de um terroir privilegiado, elaborado pelo método champenoise. A primeira fermentação é feita em tanques de inox, permanecendo o vinho em contato com as borras (Sur Lie) por três meses antes de ir para a garrafa para a segunda fermentação onde permanece cerca de sete meses antes do degorgement e encapsulamento.

Esse blend, bastante usados em vinhos tranquilos no Chile, é muito interessante pois o Sauvignon Blanc traz um frescor muito interessante ao vinho enquanto o Chardonnay aporta mais complexidade e corpo. O resultado é um espumante vigoroso com uma perlage que impressiona, bonito colar de espuma, aromas cítricos e algo de maçã verde. Na boca a perlage realmente impressiona mas o cítrico aparece menos, despontando notas mais maduras de frutos tropicais com nuances de amêndoas, leveduras e um intrigante retrogosto algo salgado que mexe com nossas papilas gustativas de forma diferenciada e marcante, final bem seco, fresco e creio que com ostras frescas deve ficar da hora! Não tomei nota de nada na hora, mas ao começar a escrever cerca de 10 dias após o ter tomado, as sensações que vivi simplesmente começaram a aparecer na mente, o que em si já é um bom sinal.

Leia mais

Comecei o Ano Botando o Pinto na Mesa

A começar pelo branco, aprovado por todos, mas tenho ainda dois tintos a provar e estou ansioso por fazê-lo. A Quinta do Pinto é uma das novidades de final de ano que a Almería dos amigos Juan e Alexandre Rodrigues decidiram trazer depois de um longo namoro. O produtor vem da região Lisboa, primando pela busca de qualidade extrema acima de qualquer outra coisa e o trabalho com castas novas que se juntam às regionais para formar uma gama de opções bastante ampla a explorar. Entre essas castas as; Arinto, Fernão Pires, Touriga Nacional, Tinta Miúda, Aragonez, Alfrocheiro, Marsanne, Roussanne, Viognier, Syrah, Sauvignon Blanc, Sauvignon Gris, Petit Verdot e Merlot.

Um projeto familiar com 63 hectares plantados em encostas suaves em Alenquer na região Lisboa, com exposição sul e o uso na fermentação de tão somente leveduras selvagens, a filosofia da casa é explorar ao Pinto SBmáximo o conceito de que o “vinho se faz na vinha”!

Este Quinta do Pinto que me soube muito bem, é um Sauvignon Blanc somente com passagem por tanques de concreto que impressiona já no primeiro contato olfativo onde os aromas citrinos estão bem presentes com um suave herbáceo onde aponta a grama molhada e um aspargo sutil. Por pedidos da família, que se animaram com meu risoto de aspargos que fiz entre Natal e Ano Novo, repeti a dose no Domingo passado e de cara pensei neste vinho pois me parecia a harmonização óbvia e foi! Na boca harmonizou à perfeição pois seu perfil aromático se confirmou, a acidez e corpo balanceados se uniram ao prato algo untuoso em função do queijo brie (queria ovelha da Paiva mas não encontrei) da Bergader com que finalizei o prato. Bela maridage como diriam os hermanos!!

Um belo vinho, bem gastronômico e nada ligeiro, de corpo médio, toque mineral, para desafiar bons exemplares chilenos e franceses às cegas e surpreender a muitos com o resultado. Comecei bem o ano agora quero provar os outros Pintos em especial o Touriga Nacional do qual já me falaram muito, mas esses eu compartilho com vocês depois. Por agora, kanimambo pela visita e seguimos nos vendo por aqui, saúde!

A Importância das Taças no Serviço de Vinhos

Não é de hoje que falo disso, tanto que um de meus posts mais lidos trata exatamente disso e já promovi umas duas degustações de taças para comprovar o fato. O uso de uma taça adequada faz uma diferença danada nos aromas e sabores que vêm do vinho assim como uma boa chuteira ou uma boa raquete podem ajudar seu jogo caso, obviamente, você tenha um mínimo de qualidade nessas artes. Colocar Chapinha numa taça de cristal não ajudará o vinho (é vinho?!) que seguirá sendo chapinha, da mesma forma que se você for um perna de pau no jogo, pode comprar a chuteira do Ronaldo que nada mudará e, provavelmente, ainda virará motivo de chacota pelos amigos quando furar o chute naquele gol que até sua avó marcaria!

Tendo dito isso, há momentos e “momentos”! Sempre que tenho a oportunidade, deixo claro a importância de desmistificar o mundo do vinho que pode e deve se tornar, de forma parcimoniosa, uma constante na sua vida pois enriquece as refeições, faz bem à saúde e gera alegria de viver. Agora, dá para tomar vinho em copo de plástico? Poder pode, mas não se deve, todavia nem sempre podemos caçar com cão e muitas vezes nem dá, então cace-se com o que haja à mão, simples assim! Agora, para tomar grandes vinhos e aproveitar tudo aquilo que ele tenha para te entregar, aí uma boa taça é sim essencial.

Recentemente, de férias e totalmente de improviso, quis abrir uma garrafa de vinho na praia, porém sequer um copo de vidro tinha à mão. Por isso não saciaria a vontade?? Não meu amigo, nada de frescuras nesses momentos, viva “o” momento e seja feliz, fui de plástico! Esse é meu recado para os amigos seguidores de Baco para este Ano Novo, não deixem pequenos senões atrapalhar seu “momento”, viva, seja feliz! Óbvio que nas condições ideais (para tudo na vida) seria melhor, porém alguns dos melhores momentos de minha vida não foram vividos com taças de apaltagua Pinot Reserva Especialcristal de primeira linha e certamente outros também não o serão, porém se na companhia certa, se tornarão inesquecíveis, então esqueça as regras, relaxe e aproveite sem frescuras!

Óbvio que qualquer avaliação mais complexa fica prejudicada em função do todo, porém o vinho não tinha nada de chapinha não (!), era um saboroso Apaltagua Pinot Noir Reserva Especial da região de San Antonio no Chile que, refrescado, mostrou boa característica da uva, álcool algo alto porém devidamente controlado pela temperatura, tendo ganho muito quando abri uma caixinha de torresmo bem sequinho para acompanhar mostrando ser bem gastronômico, boa acidez, frutado sem exageros, taninos suaves como convém a um bom Pinot, um vinho que me agradou e ajudou a complementar o momento com galhardia!

Saúde, kanimambo e cá vamos nós retomando nosso dia a dia e vos espero na Vino & Sapore, por aqui e, quem sabe, numa de minhas viagens na Wine & Food Travel Experience. Um ótimo 2016 e não tenha medo de ser feliz, curta o momento sem preconceitos, viva!

Uma Escapadinha ao Japão

Para visitar quem cedo madruga! Foi dia 2 agora, e não fui tão longe não, fui só até Moema conhecer a Adega de Sake do Alexandre Tatsuya Lida. Sou um mero curioso nesse mundo, mas fermentados me interessam então quis começar a conhecer esse universo do Sake que me parece deveras interessante. Mais um projeto para 2016 e uma visita à Adega se faz necessário para os curiosos de plantão, como eu.

Os “barris” e rótulos são incrivelmente bonitos e nos fazem querer comprar todos, quem diabos disse que rótulo não vende?? Eis aí algo que o mundo do vinho precisa começar a prestar mais atenção!

Enfim, lugar agradável, pequeno mas selecionado, vale a visita e o Alexandre manja muito. Veja comigo

Meu Altar de Baco 2015

Amigos, bem vindos a 2016, o primeiro dia útil do ano se inicia e é tempo de olharmos o que ficou no ano anterior. Todos os anos publico meus melhores do ano anterior escolhendo 12 vinhos para compor http://arquivos-falando-de-vinhos.s3-sa-east-1.amazonaws.com/wp-content/uploads/2015/01/21122901/Monte-olimpus.jpgmeus 12 Deuses do Olímpio, e depois publico diversas listas de vinhos que achei valerem menção dentro das diversas faixas de preço, fazendo isso desde 2008. Este ano alterei um pouco essa escolha dos mais, mais pois não me ative a uma quantidade especifica de rótulos, escolhendo um número bem maior de vinhos para compor meu Altar de Baco, composto de vinhos excepcionais um degrau acima dos outros!

Por outro lado, em função de minhas atividades profissionais (Falando de Vinhos, Degustações, Wine and Food Travel Experience, Vino & Sapore, Eventos, Aulas temáticas, Confraria Frutos do Garimpo, etc..) nem sempre consigo tempo para escrever, então este vídeo é uma nova experiência que espero possa vos agradar e, ao mesmo tempo, melhore minha comunicação com vocês. É um embrião, tem muito a melhorar, porém sem scripts, só o que me passa pela cabeça, de forma informal, honesta e direta.

O blog seguirá tendo meus posts, porém novos vídeos farão seu caminho por aqui. Espero que curtam, mesmo considerando que este primeiro http://arquivos-falando-de-vinhos.s3-sa-east-1.amazonaws.com/wp-content/uploads/2015/01/21122901/Baco.pngvídeo tenha ficado algo longo, afinal são 19 vinhos inesquecíveis  com que Baco me abençoou este ano, meu Altar de Baco 2015! Desculpem pelas falhas encontradas, vão existir muitas, e quem tiver quinze minutos (próximos serão bem mais curtos) para descobrir e anotar alguns grandes vinhos para seu wish list, espero que façam bom proveito das informações compartilhadas já corrigindo que o Carrocel é DÃO, não Douro e a garrafa cheia mencionada era o Pesquera pois não pude trazer a garrafa.porém acabei comprando! Kanimambo e um grande ano para todos; muita alegria, saúde e din-din no bolso porque ajuda uma barbaridade!

Ps. ia-me esquecendo, criticas e sugestões são bem vindas!