Dicas de Serviço do Vinho

Depois de publicar algumas dicas de como comprar vinho, gostaria de compartilhar com aqueles que estão iniciando seu caminho pelas estradas de nossa vinosfera, um pouco Uncorking-Old-Sherry-Gillrayde minha experiência sobre o tema. O Serviço do Vinho, isso pode fazer a diferença entre você se apaixonar por estes caldos ou virar o nariz para eles e, em último caso, espantar alguns iniciantes.

Todos nós iniciamos como tomadores de vinho, qualquer coisa baratinha no super tá bom, para depois começarmos a prestar atenção no que colocamos no copo ou taça, mesmo que ainda baratinho, e um monte de duvidas começam a tomar conta de nós. Mas quanto mais nos metemos a tentar entender essa incrível e complexa vinosfera, mais vemos o quanto ainda há para aprender e mais riscos corremos de nos tornar enochatos antes de enófilos! As dicas de hoje então, são válidas também para alguns já mais experientes que volta e meia me consultam aqui no blog ou me pedem ajuda na loja mesmo depois de uma litragem já relativamente alta, então espero que aproveitem. O objetivo é alcançar prazer em cada taça e é uma contribuição que podemos dar aos caldos de Baco.

1 – Taças de Vinho – não precisa exagerar, mas nesta fase o copo de requeijão (rs) é deixado de lado e está no momento de escolher umas taças. Para bater uma bolinha de vez em quando qualquer raquete dá conta, mas quando a coisa fica mais séria e seu jogo melhora, tem que caprichar, certo? Bem, o mesmo vale para suas taças que podem fazer uma enorme diferença nos vinhos que toma. Tá certo, comprar a raquete do Nadal, Djoko ou Federer não o transformará num astro das quadras se for um perna de pau, mas ajuda se já for competitivo! Se os vinhos que compra e toma normalmente já ganharam qualidade e você está na fase de prestar atenção no que bebe, então vale a pena pensar nas taças, a qualidade da “ferramenta” depende da “Qualidade” de seu jogo ! Leia mais em Taças de Vinho, Sem Elas não Dá!

2 – Temperatura do Vinho– A temperatura errada pode acabar com um vinho. Tinto alcoólico quente só vai aparecer o álcool, o tânico resfriado demais vai se tornar um pesadelo na boca, o branco gelado demais perde todos seus aromas. Aliás, o “estupidamente gelado” não nasceu à toa! Meia boca (cerveja, vinho branco, espumante), gela bem que se toma numa boa, não se sente nada!! É incrível como algo tão importante recebe tão pouca atenção já tendo tido diversas decepcionantes experiências de degustação até em produtores e importadoras! Aliás, isso vale para as taças também. Veja mais aqui em Temperatura do Vinho, Necessidade ou Frescura?

3 – Decantar Vinho – recebo um montão de perguntas de tudo o que é nível de consumidor. Primeira coisa a saber é o que é decantar e aerar, pois não são a mesma coisa. Quando e porquê aerar seus vinhos ou decantá-los, isso você poderá descobrir aqui, num de meus posts mais lidos,Decantar Vinhos – Quando e Porquê?

4 –Por último, ao receber convidados evite abrir vinhos desconhecidos para não ter surpresas quanto a eventual necessidade de aeração o que levará muito tempo. Opcionalmente, há a possibilidade de usar um Magic Decanter que é um aparato que turbina essa aeração, mas isso é papo para outro post. Se forem amigos também apreciadores que tenham um perfil de descobertas, aí tudo bem, aventure-se sem medo e tenha uma garrafa “porto seguro” de stand by para embalar o papo enquanto as estrela do momento não fica pronta!

Saúde, kanimambo e seguimos nos encontrando por aqui ou por aí nos caminhos de nossa vinosfera. Um ótimo fim de semana para todos e quem quiser agregar algo já sabe, manda bala!