Páscoa é Sinônimo de Bacalhau e Vinho, o Que Escolher?

Olá amigos, Chegando na Páscoa e falar dela e suas celebrações é falar de família reunida e Bacalhau e Vinho sobre a mesa acompanhada de bom azeite, ora pois! Uma coisa aprendi ao longo destes anos dedicados ao estudo do vinho e experimentos com harmonização, por mais “regras” que existam, nada passa por cima de seu palato e seu gosto então todos os textos em revistas e em nossa blogosfera devem ser digeridos com uma certa parcimônia, inclusive este.

Eu já pesquisei bastantes o assunto e cá tenho meus pitacos para dar, porém em boa parte já aqui publicados, por isso se está em duvida quanto à sua harmonização de Bacalhau e Vinho, junte-se ao grupo! rs Estes posts abaixo (clique nos destaques – links – em negrito) mostram bem a diversidade de opiniões pesquisadas junto a gente que é do ramo da boa enogastronomia e vos convido a ler esses textos. Mais do que lhe dizer o que fazer, o que seria uma tremenda presunção de minha parte, busco aqui compartilhar consigo minhas experiências para que você faça seu  próprio juízo de valor encontrando, eventualmente, algumas respostas para suas dúvidas sobre este saboroso tema. Na essência, no entanto, pense sempre em harmonizar por “peso”! Pratos leves com vinhos leves, pratos pesados e complexos com vinhos idem, difícil errar, acreditem.

1 – First things first, dizem os ingleses, e nada como conhecer o Bacalhau antes de comprar. O mercado está cheio de peixes parecidos, até umas coisas bem ruins chinesas, então saber o que está comprando é essencial! Leia aqui sobre os diversos tipos de bacalhau disponíveis no mercado e não compre gato por lebre! Clique na imagem do Bacalhau abaixo para saber mais sobre ele e não tomar ferro na hora da compra.

bacalhau-gadus-morhua_large

2 – Como dizem meus compatriotas, pelo menos é o que rege a lenda, “bacalhau não é peixe, é bacalhau” e estamos conversados! Uns gostam com vinho branco, outros não abrem mão de um tinto, mas quem conhece do riscado sabe que é essencial saber a receita do bacalhau que será servido. Veja mais aqui num post com uma diversidade incrível de opiniões vindos de especialistas da enogastronomia.

3 – Outras experiência vieram depois desse post e uma em especial me chamou a atenção, foi do amigo Marcio Marson e achei legal compartilhá-la aqui em 2009. Leia o post com o resultado de suas experiências aquiBacalhau Doce Lar

4 – Harmonização não é uma ciência exata e muitas vezes nos surpreendemos com os resultados, Bacalhau com Tannat pode?! E com Malbec? Pois bem, veja os resultados de duas experiências aqui > Com Tannat  e Malbec

5 – Mais experiências a conferir: Experimentando com Bacalhau com Natas do Ney LauxAprendendo Com os ErrosBacalhau à Lagareiro com Quinta da Bacalhôa, um clássico!  e uma experiência com um Chianti Classico. hummmm, e a receita de Bacalhau de Frigideira?! Arroz de Bacalhau e brócoli, dá para viajar legal né?!-

Quando falamos de harmonização de pratos, existem alguns conceitos básicos a serem seguidos, porém uma forma simplista, que normalmente funciona bem, é pensar e equilibrar os vinho e o prato pelo peso. Pratos mais leves, vinhos mais leves e menos tânicos (quando tintos) e mais jovens, já pratos mais pesados e untuosos requerem vinhos com iguais características; brancos amadeirados e encorpados, tintos mais estruturados e complexos.

Cada um tem lá suas sugestões sobre o tema de harmonizar Bacalhau e Vinho e eu não fujo à regra! Eis minhas dicas sobre harmonização da Páscoa, leia, pesquise, experimente e viaje nessa diversidade de sabores. Eu já sei que vinho abrirei, tenho aqui um Quinta do Crasto Vinhas Velhas 2008 que acho que desta não escapa e deverá “ornar” com meu bacalhau à Lagareiro! Salute, kanimambo pela visita, que tenham todos uma bela semana e uma ótima Páscoa, mas no Domingo pode abusar e servir uma bela paleta de cordeiro deixando o bacalhau para amanhã!

Salvar