Enólogo, Enófilo ou Sommelier?

No dia 22 passado foi comemorado o dia do Enólogo e no Face postei uma homenagem a esses profissionais que elaboram esses caldo de Baco, que comumente optamos por chamar de vinho, para nosso deleite e prazer. Recebi um monte de parabéns de amigos e com isso me dei conta que talvez não esteja muito claro o que cada profissional fazQuestion-mark-clip-art-question-mark-image-image-2 em nossa vinosfera, qual o papel que cada um exerce nessa viagem com destino ao prazer!

Já dizia Luiz Groff, engenheiro paranaense, estudioso e comerciante do mundo do vinho com anos de história nas costas, que “Enólogo é o cara que diante do vinho toma decisões, e Enófilo é aquele que, diante das decisões toma vinho”, preciso como todo o bom engenheiro! rs Para deixar mais claro sobre o papel que cada profissional tem nesta nossa vinosfera, escrevi este post usando como base um texto dos amigos da Academia do Vinho (já estudei muito por lá e recomendo aos amigos acessarem) que acho deixa isso bem claro.

Enólogo – O Pai da Criança

O Enólogo desde 2007 tem sua atividade regulamentada no Brasil devendo ser formado em Agronomia, com especialização em Enologia, ou formado em uma faculdade de Enologia. Trabalha na vinícola e é responsável por todas as decisões de produção do vinho: escolha do local do vinhedo, métodos de irrigação, escolha das mudas, da melhor hora para plantar, para podar, para colher. Define as técnicas de vinificação, os cortes, o tempo de amadurecimento e a hora de colocar o vinho no mercado. São muitas as decisões importantes que ele (ou ela!) precisa tomar durante todo o processo de produção e como estas decisões são cruciais para o resultado final. Os vinhedos produzem uvas, a empresa produz o vinho, porém a elaboração do vinho (para bem ou para mal) fica a cargo deste profissional. A todos eles minhas homenagens e agradecimentos!

Enófilos

Euzinho! rs Na verdade são todos os aficionados por este diverso mundo do vinho que se dedicam a ler e estudar nossa vinosfera, todos nós que freqüentamos feiras e apresentações de vinhos, que fazemos anotações sobre os vinhos que tomamos, que freqüentamos confrarias ou encontros de vinhos, viagens a produtores, etc., gerando diferentes níveis de conhecimento sobre vinhos.

Sommelier

Já que estamos falando dos personagens do vinho, precisamos ainda apresentar o Sommelier. Ele é o soldado do vinho. Não raramente é um garçom talentoso para o assunto que estudou e se especializou. O sommelier trabalha em restaurantes e lojas de vinhos, orientando os clientes a respeito da melhor escolha de compra de forma a atender o gosto e necessidades do cliente assim como dando dicas harmonização, especialmente nos restaurantes. Hoje já existem diversos cursos disponíveis, porém é uma profissão ainda em busca de regulamentação. Podem existir os híbridos também (rs) que são o resultado do Enófilo Sommelier e vice versa!

Enochato

É esse também existe e pode ser qualquer um de nós! rs Vigie-se, controle-se, contenha seus impulsos, se preciso use venda, mordaça, algemas e se amarre ao pé da mesa, mas, por favor, não se torne um enochato. Aqui gostaria da citar a famosa e grande critica de vinhos, a inglesa Jancis Robinson, que diz; “A melhor maneira de introduzir amigos ao mundo do vinho é abrir garrafas melhores do que eles estão acostumados, mas só falar de suas virtudes caso lhe seja perguntado”

Enochato é aquela espécie da qual todos nós conhecemos um exemplar (ou vários). O enochato chega nas festas ou no restaurante, pega uma taça, certifica-se de que tem bastante gente olhando, faz cara de entendido, gira o copo no sentido horário e com inclinação de 26,487º em relação a Greenwich, funga dentro da taça, revira os olhos, fala um monte de coisas complicadas e depois olha para as outras pessoas presentes com ar superior, como se elas fossem a ralé da humanidade por não entender de vinhos tanto quanto ele.

Tem mais, esse Enochato pode ser qualquer um, inclusive alguns desses enólogos, enófilos, sommeliers, críticos e colunistas (a esses classifico entre 4 paredes e entre eu e você, de um novo subproduto que tem aparecido muito por aqui – 0 Enopomposo! rs) aproveitando para citar aqui uma frase do meu mentor Saul Galvão; Nada mais chato que um esnobe do vinho, que fala pomposamente, como se ele fosse o único ungido a entender termos herméticos” . Enochatisse ao cubo!! rs

É justamente por causa dos Enochatos e também dos Enopomposos com sua sofisticada linguagem para valorizar caché, que o vinho tem essa fama de coisa complicada, sofisticada, exclusiva de gente rica, metida e chata. O Enochato, porém, tem antídoto basta que ninguém mais preste atenção às macaquices deles frente a uma taça de vinho. Sem platéia o enochato murcha, perde a pose e sai de fininho! rs

Por hoje é isso. Espero ter podido ajudar, um pouco que seja, a desvendar quem é quem e quem faz o quê nesta nossa vinosfera. Tem gente que é só tomadora, a você meu amigo, um brinde e aproveite a viagem, sem preconceitos e sem frescuras! Kanimambo e seguimos nos encontrando por aqui ou qualquer outra esquina de nossa imensa vinosfera, saúde!

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar